BUENOS AIRES – VALE A PENA CONHECER

Nossa viagem para Buenos Aires foi incrível. Essa é a segunda vez que viajamos (junho 2012)  para a Argentina, e ainda ficaram muitos lugares a serem explorados.

Não demora tanto,  de Vitória até Buenos Aires levamos cinco horas ao todo, com conexão no Rio de Janeiro. A  lanchinho do avião é que poderia ser um pouquinho mais reforçado.

Asa do avião nos céus do Brasil

Asa do avião nos céus do Brasil

Lanchinho do avião - Polenghinho, torradas, bolinho e suco...estava com uma fome.

Lanchinho do avião - Polenguinho, torradas, bolinho e suco...estava com uma fome!.

Uma boa dica de viagem é fazer uma pesquisa sobre preços de hotéis no google, em sites como malapronta e decolar. O hotel que ficamos é muito bom, o Dos Congresos. Ele fica em frente ao Congreso de La Nacion, no centro, na Avenida Rivadávia. A localização é boa, com uma estação do metrô aproximadamente  a 50 metros.

No centro encontra-se a Casa Rosada, a Catedral, a rua Florida (para compras), bancos,  Café Tortoni, dentre outras atrações. A propósito, cafés são centenas opções, perdi a conta.

Nossa viagem começou na quinta, com conexão no Rio. Quarenta minutos de Vitória ao Rio, depois mais três horas aproximadamente até Buenos Aires, (aeroporto de Ezeiza). Chegamos ao Hotel De Los Dos Congresos. A visão do hotel é muito boa. Dá para ver o prédio, a praça e as ruas paralelas. Embaixo dele tem dois restaurantes, um menorzinho e o outro maior e com uma infraestrutura muito boa. Ambos tem um excelente atendimento e comida farta. Para uma noite mais geladinha, o melhor é ir no maior, da esquina, que tem portas de vidros, algumas mesas com bancos acolchoados, e se pedir uma sopinha, eles até fazem.  As empanadas não podem faltar, é uma delícia.

O hotel tem um elevador antigo. O quarto que ficamos (acho que todos são assim) é de madeira, com banheira e um mezanino para famílias maiores. No café da manhã, a média luna (salgada e doce) é “mui preciosa”.

A iluminação do quarto é que é escura, mas para quem quer utilizá-lo apenas para descansar das andanças pelas ruas, a luminosidade só atrapalha.

Logo do hotel na toalha de banho

Logo do hotel na toalha de banho

Congreso de La Nacion Argentina- foto de Sonia Ferreira

Congreso de La Nacion Argentina- foto de Sonia Ferreira

Dos Congresos - Buenos Aires - foto de Maria Clara Ferreira

Dos Congresos - Buenos Aires - foto de Maria Clara Ferreira

Antigo café e moinho ao lado na outra esquina do hotel (um prédio abandonado)

Antigo café e moinho ao lado na outra esquina do hotel (um prédio abandonado)

O interessante da foto acima  é o detalhe do pombo que voava, fazendo parte do contexto, como pousando para foto.

Entrada do Hotel

Entrada do Hotel

Na sexta, dia seguinte da nossa chegada, seguimos para a Rua  Florida a fim de fazermos umas comprinhas, mas pelo visto, não estava muito bom par comprar, apenas para apreciar.

Rua Florida e um espetáculo de tango à ceu aberto (e frio).

Rua Florida e um espetáculo de tango à ceu aberto (e frio).

No sábado, um passeio em Palermo para a corrida no bosque, com uma temperatura de 6º e sensação de 3º (Muito friiiiooo). Foi muito legal. O bosque é lindo. Como a corrida foi um evento específico, vale a pena fazer um passeio, tirar fotos e ainda praticar exercícios como caminhada e corrida.

À noite, uma volta no Shopping Abasto dá para escolher o que quer comer em um dos três andares de praça de alimentação, fazer umas comprinhas e ainda levar as crianças para brincar no parque de diversões que fica dentro do shopping. Do lado de fora tem um rede de supermercados (se não me engano, o Disco) e uma casa de Show de Tango, cafés e lojas.

O passeio pelo trem Expresso, e na lanche pelo Rio Del Plata foi um dos melhores passeios  que fizemos.

2012-06-05 12.57.25

2012-06-05 15.53.52

Um cafézinho a bordo.

Um cafezinho a bordo.

2012-06-05 16.51.33

2012-06-05 17.14.02

2012-06-05 13.13.18

Na cabine, antes de embarcarmos no barco.

2012-06-05 17.52.31

2012-06-03 13.52.52

Copiando a fala de Álvaro Garnero: “Essa ainda não minha Buenos Aires” (rsr). Muito ainda a explorar as belas paisagens.

(Sonia)

Jornada 10.000km – 31.12.2013 (234,4km)

Resumo dos deslocamentos do mês de dezembro de 2013.

des-10000-dez-2013

Quadro de dezembro de 2013.

Dezembro foi um mês com muitas chuvas.  Aqui no ES a situação foi tão complicada que chegamos a ter mais de 60mil pessoas desabrigadas.  Não deu para avançar muito com a meta, mas isto é o de menos se considerarmos a situação que o estado passou.

“Descobri” o kindle

A amazon.com já está presente no Brasil por meio do seu site http://www.amazon.com.br há mais de um ano, mas ainda não tinha feito nenhuma compra no site nacional.  Por meio do endereço americano (http://www.amazon.com) já havia adquirido alguns livros.

No mês passado visitei o site e baixei as versões para Android e para PC do aplicativo kindle – o leitor de livros da Amazon.  Não sei nem explicar porque ainda não tinha feito isto.  Talvez achasse que não me adaptaria não tendo um livro de papel nas mãos, mas me surpreendi.

De lá para cá já “comprei” mais de meia centena de livros.  O comprei da frase anterior está entre aspas porque há centenas de livros ao custo de R$ 0,00, ou seja, de graça.   Mesmo os títulos efetivamente vendidos, eventualmente são ofertados com descontos que as vezes chegam a 100%.  Qual a lógica disto?  Simples.  Quando os livros ficam ofertados com grandes descontos (por curto espaço de tempo) o número de clientes que os adquirem aumentam.  Após lerem os livros eles fazem comentários sobre as obras com os amigos e no site da Amazon, e isto alavanca as vendas destes livros.

Os livros abaixo eu li nos últimos dias e recomendo.  Todos comprados com descontos.  Paguei apenas por um deles R$ 1,99 (numa oferta promocional).

Resumindo: pela meia centena de livros que eu “comprei” eu não gastei sequer o preço de um livro “normal”.   Mas as vantagens não param por aí, pois não vejo nada demais em se pagar o preço justo por um bom livro.  Apesar de achar um exagero os preços dos livros digitais no Brasil.

Algumas vantagens que me impressionaram muito:   No meu celular, tenho disponível a qualquer momento uma quantidade de livros que precisaria de uma estante para carregar.  E se o celular “pifar”?  Bastará instalar o kindle no próximo celular e clicar para sincronizar com a Amazon.

Se eu começo a ler no celular e resolvo dar sequência à leitura no notebook o aplicativo me oferece o livro aberto na posição em que eu parei.  E os grifos, rabiscos e anotações que fazemos nos livros de papel?  Também podem ser feitos no kindle.  Quer mais vantagens?  Se precisar saber o significado de uma palavra no momento da leitura é possível usar um dicionário apenas clicando sobre ela.

Estou bem satisfeito com o meu “brinquedinho” novo.