Como tirar mancha de canetinhas em parede

Bem, depois de sofrer para tirar os rabiscos e garatujas implantadas na parede pelo Neto, busquei informações na internet, meio desacreditada de como tirar tais manchas. E uma informação bem simples foi o de limpar com sapólio líquido e água. Funciona mesmo.

Canetinha Faber-Castell - 24 Cores

Imagem disponível no site: http://www.bazarhorizonte.com.br/canetinha-faber-castell—24-cores/00833/56/14307

Sonia

BAUERMALEREI – PINTURA CAMPONESA

Até bem pouco tempo não conhecia a pintura Bauermalerei. Viajei para o Rio Grande do Sul, Gramado e Canela, e sei que lá tem algumas pinturas nesse estilo, mas não nos atentamos para um objeto se não estamos focados nele. Assim, no decorrer de um curso de formação de professores que estava aplicando junto com outros profissisonais da educação, em Domingos Martins, tive o privilégio de saber um pouco da história dessa pintura e entender o quanto ainda temos que aprender e compartilhar com o outro.

As pinturas tem uma simetria no desenho e as cores vivas. A princípio, parece fácil, e realmente é, mas precisa de treino para fazer a “virgula”, como diz a coordenadora do Polo de Domingos Martins, Maria Aparecida Trarbach.

No curso de formação, pudemos presenciar a construção e criação de objetos com essa técnica, e os resultados realmente ficaram excelentes. Parabéns meninas, vocês arrasaram.

2012-12-08 15.56.10

pintura Bauer

pintura bauerpintura bauer

Abraço

Sonia Ferreira

Educação a distância – uma nova forma de estudar.

A quem diga que o diploma do ensino a distância não vale muito, bom mesmo é aquele conseguido com lutas, pegando ônibus, enfrentando o trânsito, e tendo gastos horrendos com xerox e livros. Pois saibam, assim como existe ensino de qualidade no formato presencial, também há os de qualidade no Ensino a distância.

Atuando como tutora presencial do Curso de Artes Visuais da UFES, pude perceber o quanto os alunos se mataram de estudar para conseguir se formar, e com qualidade. Existem as dificuldades de deslocamento, as vezes mais díficeis de quem mora nos centro urbanos. Alguns alunos saem do campo para se deslocarem até o polo para os encontros presenciais precisam enfrentar ônibus, estradas de chão, andar a cavalo, dentre outras, e as tarefas a serem realizadas devem ser seguidas à risca, senão perdem o prazo, e lá se vai mais um tempo para os repercuros ou reofertas, como chamamos de “recuperação” ou refazer a disciplina.

Os desafios são muitos, desde o comprometimento e disciplina para que consiga chegar ao final. Alguns desistem no meio da caminhada, mas muitos enfrentaram o desafio do novo e estão formados, outros se formando. Com isso, acredito na Educação a distância, que com um ajuste aqui outro ali, vem conquistando o mercado e um público diferenciado, que tem desejo em aprender.

Assim como o aluno, o professorado também se empenha para que essa qualidade suba ou se mantenha, mas é preciso olhar com carinho para esses profissionais, que se bem remunerados, trabalharão com maior afinco ainda, proporcionando um ganho a todos, em prol da educação.

Fica aqui a dica.

(Por Sonia Ferreira)

CORRIDA DA VALE (Corrida número 17 – 16.12.2012)

Mais uma corrida, completando a sexta medalha, desde que comecei. A corrida da Vale foi muito interessante. Com muitos participantes, aliou-se à inauguração do viaduto no final da praia de Camburi. Nesse tempo de muito calor e sol escaldante, penso que o horário de largada poderia ser mais cedo, às 7:00h, assim não castiga muito, principalmente quem faz de 10Km acima. A água era abundante e geladinha, o trânsito estava bem sinalizado e com isso se fez um evento seguro. Parabéns à organização.

Caminhando para o ponto de largada

Os atletas 1

caminhando para a largada

Os atletas 2

O viaduto da Vale. Inauguração com a corrida.

Meu amor a caminho do ponto de partida.

Meu amor subindo o viaduto comigo para a largada.

Ínicio do viaduto. Subindo para a largada

Subindo para a largada

A subida.

Início do evento.

largada

Começando a correr

A largada.

descida

Descida e a visão da orla.

A orla de Camburi, vista do novo viaduto.

o retorno

Feliz por estar chegando. Cansada devido ao calor intenso. Aqui contemplando a vista da orla.

O tapete azul

Geralmente o tapete é vermelho. Primeira vez que vejo de outra cor.

Quase chegando

Um passo para o tapete azul. Finalzinho da prova.

Em cima do tapete. Prova cumprida.

Prova cumprida.

a linha de chegada

Wagner na linha de chegada.

Final de corrida

Wagner com Cosminho (amigo de infância) e seus filhos Caio e Camila.

Um corredor vesido de Papai Noel, nesse calorão...corajoso.

Um corredor vesido de Papai Noel, nesse calorão...corajoso.

Finalzinho do evento

(Por Sonia Ferreira)

Menu do dia – Frango com molho agridoce

Depois de comprar um molho agridoce pronto, veio a ideia de elaborar uma receita para o almoço. Fez sucesso, ficou muito bom.

Para essa maravilha ficar pronta, é necessário dois peitos de frango sem pele, cortado em cubos. Para temperá-lo, 4 dentes de alho picados, um pouco de sal a gosto, uma colher de chá de curry, uma colher de sopa de mostarda, oléio (umas três colheres de sopa). Vá mexendo em fogo brando até dourar.  Como opção, pode-se acrescentar cebolinha e cebola ralada, mexendo por dois minutos.

O molho agridoce pode ser acrescentado ao frango. Preferi colocar a parte, já que nem todo mundo aprecia as misturas agridoces. serve-se  e coloca-se o molho sobre o frango no prato. Como acompanhamento pode ser um arroz branco ou um macarrão em alho e oleo.

Fica aí a dica do dia.

Sonia