Viagem para a Argentina – segundo dia

Acordamos às 8h (Maria Clara dormiu um pouco mais). Dia claro e temperatura agradável. Abaixo foto tirada a partir da janela do hotel. Vê-se o Congresso Nacional da Argentina.

Tomamos café do hotel as 9h20min. Nao tinha muita variedade, mas estava uma delícia. Aproveitamos para começar a “Reunião” para discutirmos os roteiros do dia.

Fomos para bancos (caixas eletrônicos) para tirar dinheiro. Saimos da av. Rivadavia, tomamos a av. Callao à direita e av. Currientes (novamente à direita). Nossa intenção era a de sacar alguns pesos no Itau (atualmente ele tem quatro agências em Buenos Aires).

Ficamos impressionados com a quantidade de livrarias e sebos na avenida. Acredito que só perdem em quantidade para os cafés/confeitarias, seguidos de perto pelos teatros/casas de show.

Como estamos em família e o objetivo de hoje é o roteiro histórico-cultural Congresso – casa Rosada, só consegui negociar a entrada em uma livraria sebo. Soninha acabou comprando muito mais livros que eu. Ficamos impressionados com a quantidade de livros de Arte (novos e usados) a preços acessíveis.

Andamos “pra chuchu” e ainda não chegamos ao banco. Encontramos o obelisco, na avenida 9 de Julho. Fotografamos tudo. Havia uma árvore de natal no local e alguns turistas.

Aí a árvore de natal branca.

Eu e Soninha na praça da República.

A Praça da República logo em frente ao Obelisco.

Chegamos ao banco. O saque foi muito simples e rápido. Tiramos o dinheiro, retornamos uns metros e dobramos na rua Florida. Nela não há trafego de carros só pedestres. É como se fosse um grande Shopping à céu aberto. Como tivemos que andar muito mais do que imaginávamos para chegar ao banco e no caminho “achamos” a Florida, começamos a mudar o roteiro que tínhamos previsto.

“Almoçamos” no Mc Donalds. A quantidade deles por aqui é impressionante.

Continuamos explorando a rua Florida. Nela há várias galerias, algumas enormes – verdadeiros Shopping Centers. A Catharina achou a Galeria Jardins que pelo que percebemos é focada em produtos de informática. Entramos um pouco e verificamos os produtos e os preços, que neste segmento é bem parecido com os praticados no Brasil.

Fui ao Banheiro na galeria e achei diferente o sabonete na pia. É perfurado no meio e fica em uma haste móvel sobre a pia.

Mais à frente chegamos à Galeria Pacífico. Pelo que percebemos é a mais sofisticada da rua Florida. Na verdade um Shopping num conjunto arquitetônico antigo com fachadas exuberantes. internamente é lindamente decorado. Cúpulas e fachadas com pinturas de se admirar.

Andamos pelo seu interior e paramos para tomar uma água e um café. Soninha preferiu chá.

Retornamos para a Florida e tomamos o sentido contrário. Mais adiante Maria Clara teve o seu primeiro diálogo em castelhano. Vimos uma loja de sorvetes e ela foi comprá-los. Comprou “um cono”, uma casquinha de sovete. Eu fotografei através do vidro da loja e a foto não ficou muito boa.

Depois do sorte deixei-as dentro de uma loja de roupas e fiquei esperando na rua. Fui numa banca de revista e comprei um mapa mais detalhado da Argentina. Mapas de Buenos Aires, em especial de sua região central são conseguidos facilmente em vários locais (Hotel, Shoppings, Guiches de orientação ao turista). Neste interim, flagrei uma filmagem ocorrendo na rua. Como eram apenas duas atrizes, um camera e um diretor, e também pela pequena estrutura pareceu-me a produção de um curtametragem. Fotografei e dei uma de “Robert”.

Catedral

Praça de Mayo, Soninha comprando lembraçinhas e o Chafariz da praça.

Soninha e as meninas em frente à casa Rosada.

Agora eu as meninas.

Grupo de turismo de bicicleta.

A fachada da casa mais de perto. Verificamos que ela abre para visitas guiads nos fins de semana das 10h ás 18h.

Prédio do “Banco de la Nacion Argentina“. Dá pra imaginar um banco funcionando num prédio assim que mais parece uma palácio.

Quando estávamos na rua Florida vimos a manifestação de um grupo que mais parecia um carnaval, mas consultando ….. minutos depois vimos estes dois grupo de choque se dirigindo para aquela região … não sei se uma coisa está relacionada a outra…

Metrô é subté. passagem que compramos na estação da Praça de Mayo. Linha A. A mais antiga da América Latina. em funionamento desde 1913.

As meninas passando no acesso a estação

A estação…

A nossa viagem…


Na estação do congresso já saímos ao lado do nosso hotel (canto superior esquerdo da foto).

Apesar da proximidade do hotel, demos uma volta no congresso. Quando já estávamos chegando à sua frente vimos uma grande movimentação e percebemos que estavam tirando uma foto de um grupo de pessoas. perguntei a um dos que olhavam o “evento” e ele me explicou que todos que estavam sendo fotografados (era um grupo de umas 45 pessoas) estam completando 25 anos de trabalho. Comentou ainda que o senhor de terno verde era o vice-presidente da república.

No hotel uma Quilmes e uma banho. foi difícil sair da banheira.

Shopping Abasto. Indicação do Hérico por conta do parque.

Parrillada patogônica. Furada total.

Viagem para a Argentina – primeiro dia

Aqui começa um resumo de nossa viagem de férias a Buenos Aires – Argentina. A minha intenção era a de fazer um resumo diário, mas já percebi que não consegui até agora (estou escrevendo este texto em 24/12) e dificilmente conseguirei fazê-lo no restante dos dias de viagem. A agenda de passeios é “lotada” e nos poucos momentos que poderia estar fazendo um resumo, as minhas mulheres, em especial a mais jovem (Maria Clara) quer atenção total.

Desta forma é possível que o relato seja mais para “Fatos e Fotos” do que uma relatório de auditoria. Apesar de muitos acreditarem que “uma foto diz mais que mil palavras” este não é o meu caso. Adoro “guardar” momentos em fotos, acho a imagem um registro muito rico, mas penso que “mil palavras bem redigidas trazem vida a uma foto“.

Paciência. Vamos para o relato possível. Acho melhor fazê-lo agora, ainda inserido na experiência da viagem para que seja menos imaginado e mais vivido. Mais um detalhe: estou sem tempo para “fazer tratamento” nas fotos, mas são todas de pequeno tamanho, tiradas com o celular e não creio que ficarão “pesadas” para “carregar”.

Acordamos às 5h30min. Chegamos no aeroporto às 6h45min. Pegamos os cartões de seguro saúde que contratamos na intercontinental. Fizemos check-in e fomos tomar um café. Eu soh quis um expresso. Soninha e Maria Clara resolveram comer alguma coisa.

Sala de embarque e dentro do avião.

Levantamos vôo e saímos de Viória. Soninha e Maria Clara deram a primeira apagadinha.

Maria Clara de óculos escuros querendo dormir, tivemos poucas horas de sono.

9h25min já estávamos sobre a bahia da Guanabara no Rio de Janeiro.

Desembarcamos em São Paulo e fizemos conexão para Buenos Aires. Por determinação não me lembro bem de quem (acho que do ministério da saúde argentino) todo voo que adentra o Pais precisa ser “detetizado”. Na foto abaixo a aeromoça esta fazendo isto.

Quase chegando. Na foto abaixo a margem esquerda é o Uruguai e a direita a Argentina.

Agora uma vista aérea de Buenos Aires.

14h25min. Fila na migração para poder entrar na Argentina. Na foto aparece apenas a fila do corredor externo ao fim da qual se tem scesso a uma salão com os guichês de atendimento.

Uma hora e meia depois pegamos as malas e pudemos desembarcar.

Acabamos de chegar e tomamos um primeiro café ainda no aeroporto. Soninha experimentou uma medialunaum croissant com formato de “meia lua”.

Passando de taxi pela avenida 9 de Julho em direção ao hotel.

18h – Chegamos ao hotel. Foto de Maria Clara na janela com o Congresso Nacional ao fundo.

Nas ruas do centro procurando adaptadores elétricos para usar os notebooks. As tomadas elétricas na Argentina tem um formato em “V” diferente das tomadas brasileiras.

Uma e meia da madrugada de terça tudo acabou em pizza. Buscamos a Catharina no aeroporto e mal chegarmos no hotel, deixamos as bagagens e descemos aqui ao lado do hotel para jantarmos uma pizza. Estávamos muito preocupados com a Catharina viajando sozinha, mas deu tudo certo.

Resumo do dia: Passamo-o praticamente viajando. Muito cansaço com o dia longo e ainda “ganhamos” mais 1h com a diferença de fuso horário (na verdade eles praticam o mesmo fuso horário de Brasília e a diferença é por conta do horário verão que estamos praticando no Brasil e eles aqui não). Tivemos o nosso primeiro contato com a cultura e lingua diferentes e foi tranquilo. Na maioria das vezes precisamos repetir a frase tentando outras palavras e falando pausadamente, mas conseguimos nos comunicar. Já conseguimos ser assaltados ($90,00 pesos) quando pegamos o taxi aeroporto-hotel (depois relatarei como foi) e fora este desconforto e restante foi tudo bem.

Fotos da lagoa da UFES

Dia de preparação e expectativas para a viagem de férias. Levei a Catharina à UFES para prestar exame de seleção para o projeto “Jovens Valores” – ela quer fazer um estágio e não tira isto da cabeça. Aproveitei e tirei umas fotos da lagoa da UFES.

(48/1000)

Hoje praticamente a caminhada foi toda “funcional”. Acordamos de madrugada e fomos para Jardim da Penha refazer à pé o caminha de Catharina fez ontem quando perdeu o RG. A intenção era sermos os primeiros a transitar pelas ruas com a luz do dia. “Rodamos” tudo duas vezes, e ainda retornamos mais tarde quando o comércio já estava aberto para perguntar se alguém havia encontrado o documento. Fomos ainda ao posto policial e aos correios, mas não encontramos o RG perdido.

Documento perdido

Estamos com a viagem de férias marcada para Buenos Aires – na próxima segunda embarcamos. Esta semana já tínhamos passado um sufoco quando fomos buscar a carteira de identidade da Maria Clara, pois não estava pronta no prazo agendado por problema na coleta das digitais. Conseguimos correr e fazer uma carteira de identidade provisória. Agora à noite recebemos a notícia de que a Catharina perdeu a carteira de identidade dela. Amanhã vamos ver o que faremos…

(44/1000)

4km a mais da praia de camburi. Fomos eu e soninha no fim de tarde/noite.