E o mês se foi…

É impressionante como às vezes nem percebemos o tempo passar. É noite de quarta-feira, 30 de setembro, daqui mais uns minuto e será outubro. Cabe uma estória antiga, mas “verdade jurada”.

Dizem que ocorreu uma reunião de planejamento estratégico no inferno. A intenção era incrementar o volume de almas perdidas para o inferno que já não estava “aquelas coisas”. Tinham fechado uma meta agressiva e agora era questão de correr atras do prejuízo para cumprí-la.

Opinou um “capeta senior” que o melhor seria aumentar a oferta de opções de pecado para os ser humano. Uma campanha agressiva de marketing nas mídias impressa, televisiva e Internet (com direito a inserções em blogs, vídeos no youtube e twitter próprio). Satanás fez que sim com a cabeça, indicando ter gostado, mas a sua fisionomia trazia um “que” de preocupação com os custos de tamanha campanha.

Outro capeta de renome apresenta uma outra idéia. O negócio e incutir na cabeça do homem um monte de preocupações: despesas mensais, responsabilidades com escola de filhos, roupas e jóias para a esposa, carro do ano sempre maior e com mais opcionais para impressionar os visinhos. Dá pra fazer uma campanha mais barata, menos polêmica e nós vamos ter o mesmo efeito, pois o homem vai gastar toda a sua vida para construir e manter estes bens materiais e não vai se desenvolver espiritualmente e acabará por bater a nossa porta.

Nisto um capetinha estagiário pediu a palavra e disse que tinha uma idéia melhor. Todos ficaram disconfiados. Fosse em outra época já cortavam-lhe a palavra e no mínimo seria transferido para o quinto dos infernos – um dos piores departamentos da organização -, mas agora com este papo de gestão participativa… eram outros quinhentos. Ele disse o seguinte, nós só precisamos fazer com que o homem alimente a crença simples de que ele viverá para sempre, o que lhe é praticamente natural. É só ver como vivem e isto será moleza, pois quem acha que vai viver pra sempre acredita que sempre terá mis um tempinho para isto ou aquilo, mas a verdade é que, mais dia, menos dia ele vai chegar por aqui.

Resultado: mais uma ascenção meteórica. De estagiário a chefe de divisão em poucos minutos.