Rua Dr João Batista Miranda Amaral

Vejam só o que eu encontrei (foto acima à direita), um pé boldo.

Degraus e etapas

Cada vida é singular. E no entanto há ciclos que são recorrentes e comuns e mesmo assim, a cada repetição nos emociona.

Ontem minha filha recebeu a notícia que foi aprovada num exame vestibular (FAESA). É possível que ela não tenha percebido, mas esta notícia provocou uma expressiva transformação no comportamento dela. Aquela pitada de orgulho, um olhar altivo e uma visão de curiosidade e cuidado com o futuro que não encontrava espaço em seu comportamento de adolescente na semana passada. São mudanças a caminho. Que bom que envelopadas pela súbita melhora na auto-estima.

Hoje quem recebeu uma notícia de aprovação foi minha esposa. Encerrada a terceira etapa da seleção (entrevistas), foi aprovada e agora é mentranda em Educação (Educação e Linguagens: Verbal e Visual) na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Falta a prova de proficiência em lingua inglesa, mas ela não vê a hora de começar os estudos e as pesquisas.

(wagner)

Rua Dr João Batista Miranda Amaral

Domingo, fim de tarde, caminhada no calçadão de Camburi

Neste domingo retornei com as caminhadas. Vou trabalhar na redução das estatísticas do mistério da saúde sobre as quais comentei na semana passada.

No caminho vim apreciando os jardins aqui de Jardim Camburi. Como de costume fiz algumas fotos para colocar no site. Descobri até um pé de boldo no jardim de um prédio aqui perto casa. A seguir algumas que selecionei.

Impressionei-me com a beleza da flor do cactus que aparece logo acima. Na sequência incluí uma imagem ampliada.

Agora é tentar manter o rítmo e fazer as caminhadas entrarem na minha rotina. Vamos ver…

(wagner)

Rua Carlos Martins

Três omeletes e a conta

Uma mistura de enjôo e sentimento de culpa. Este foi o Resultado de um “pequeno” lanche que fizemos há pouco. O problema: na hora em que estamos comendo nem de longe nos passa pela cabeça a possibilidade de ficarmos com esta sensação. Mas é tão obvio dirão alguns. Fale isto com a grande massa de “gordinhos” da qual faço parte (por pouco tempo, pois já vou entrar noutra dieta).

Para completar o cenário, o obesidade, ou até mesmo o sobrepeso, tem sido atacado por todos os flancos. Recentemente li uma notícia que da conta de que os obesos são mais responsáveis pelo aumento da temperatura global da terra que os demais seres humanos.

A lógica perversa é baseado no seguinte: Quem come mais, está gastando mais recursos da natureza; Quem é mais pesado requer mais potência dos dos veículos auto-motores e por conseguinte queimam mais combustíveis fosseis.

A coisa tá feia. Li hoje no site do ministério da saúde parte o estudo “SAÚDE BRASIL 2007″, lançado ontem. Ele aponta o perfil da mortalidade do brasileiro. Em resumo, em todas as regiões do País, a principal causadora de morte do brasileiro na atualidade são as Doenças do Aparelho Circulatório (DAC), ou seja, os Infartos e os Derrames. Em segundo lugar vem o Cancer.

Como esta doenças são notoriamente relacionadas principalmente aos maus hábitos de alimentação e ao sedentarismo, creio que não pra onde correr. Ou melhor, o negócio é correr para o calçadão da praia de camburi, colocar o corpo em movimento e começar a regular o que se vai comer.

A seguir, um quadro retirado do relatório citado acima que apresenta o ranking das causas morte no País, com detalhamento por região.

Vale a pena fazer uma visita ao site e fazer uma leitura da matérias. Há também uma apresentação em PDF com os dados bem analisados e traduzidos em gráficos e ainda uma entrevista em áudio (mp3) com o Diretor do Depto de Análises de Situação de Saúde.

(wagner)